Air Supported Vessel

Air Supported Vessel

A 21 de Dezembro de 2014 as empresas anunciaram a assinatura de um acordo para a exploração de Air Supported Vessels – tecnologia ASV. Este acordo permite à Atlanticeagle Shipbuilding (AES) produzir cascos de alta performance, com tecnologia ASV, sob licença da da Effect Ships International (ESI).

A Atlanticeagle Shipbuilding, Lda empresa portuguesa proprietária dos Estaleiros Navais do Mondego alia-se à empresa norueguesa Effect Ships International AS, detentora da patente desta tecnologia. Um valor de cerca de 12 milhões de euros foi investido no desenvolviento desta inovação, que valeu o prestigiado prémio “Power Boat of the Year Innovation Award” em Dusseldorf, Alemanha.
A tecnologia ASV manter-se-á propriedade da Effect Ships, no entanto esta colaboração dará à Atlanticeagle Shipbuilding um direito exclusivo de contrução de “Air Sopported Vessels”, em Portugal.
Esta tecnologia baseia-se fundamentalmente no design do casco da embarcação onde é criada uma almofada de ar que reduz o atrito entre o casco e a àgua, o que resulta numa maior velocidade e num menor consumo de energia do que os modelos convencionais:

“Para navios que operam milhares de horas por ano, uma redução de consumo na ordem dos 30% significa um enorme impacto na economia operacional de um navio; Para além de emissões significantemente reduzidas, reduz a esteira e proporciona viagens mais confortáveis devido à almofada de ar; O novo conceito vai representar uma mudança tecnológica para várias operações”, destaca Carlos Costa.

A construção do casco será tipicamente em alumínio ou aço, para construções entre 12 e 100m de comprimento.

A Atlanticeagle Shipbuilding começará a introduzir esta tecnologia em novas construções de Lanchas de Patrulha, Lanchas de Trânsferência de Tripulação Offshore e Ferries Rápidos.

“ Consideramos essencial colocar o primeiro ASV na àgua para permitir aos nossos clientes testar e experiênciar os benefícios deste novo conceito, em 1ª mão. Já temos armadores interessados nesta nova tecnologia…”, afirma Carlos Costa (CEO da Atlanticeagle Shipbuilding).